Previdência Privada 2: PGBL ou VGBL? Tributação Progressiva ou Regressiva?

Esta série de 4 posts é patrocinada pelos Planos de Previdência Privada do Banco Real.

Leia também

PGBL ou VGBL? Tributação Progressiva ou Regressiva?

Quando você for apresentado a um Plano de Previdência Privada, surgirão diversas siglas e possibilidades a sua frente. Tentarei esmiuçá-las e torná-las mais claras a seguir.

Uma das muitas e possíveis classificações entre os Planos de Previdência Privada é:

  • PGBL – Plano Gerador de Benefícios Livres
  • VGBL – Vida Gerador de Benefícios Livres

Outra divisão possível é de acordo com o tipo de tributação adotada no início do plano:

  • Tributação regressiva
  • Tributação progressiva

PGBL

O PGBL, segundo o site dos Planos de Previdência Privada do Banco Real, é para quem declara Imposto de Renda no modelo completo e contribui para a Previdência Social. Os valores investidos, até o limite de 12% da renda anual tributável, podem ser deduzidos da base de cálculo do IR.

Segundo o livro Investimentos Inteligentes, de Gustavo Cerbasi:

Por exemplo, quem ganha R$ 100 mil por ano, teoricamente sofre uma retenção na fonte de 27,5% de IR, ou R$ 27.500 por ano, se não tiver despesas dedutíveis. Ao aplicar R$ 12 mil (ou 12% da renda) em um PGBL, a pessoa passa a ter direito à restituição, recebendo no ano seguinte, uma restitução de R$ 3.300. (27,5% de R$ 12 mil). Futuramente, ao resgatar seus investimentos, o imposto de renda a pagar dependerá do regime tributário escolhido pelo poupador na contratação do plano e será sobre o total resgatado e não apenas sobre o lucro obtido com o investimento. Por esse motivo, considera-se que o abatimento de IR é uma postergação de impostos e não uma isenção.

Creio que a grande sacada é que, no exemplo usado por Cerbasi, o investidor decidirá o que fazer com esses supostos R$ 3.300 restituídos durante o meio tempo em que não tiver que devolvê-los: investi-los onde preferir, gastá-los, enfim, maior independência.

VGBL

O VGBL, segundo o site do Banco Real, é para quem declara IR no modelo simplificado ou é isento, não contribui para a Previdência Social ou, ainda, para quem já investiu em PGBL o limite de até 12% da renda anual tributável e deseja investir mais em Previdência.

É um tipo de plano de previdência mais adequado a profissionais liberais, que não pagam Imposto de Renda na pessoa física, apenas na jurídica.

No fim do plano, o Imposto de Renda a pagar mais uma vez vai depender do regime adotado no início, mas acima de tudo será sobre o lucro do investimento.

  • Entre PGBL e VGBL qual escolher? Vá ao simulador de Plano de Previdência Privada e veja se o simulador de cálculo orientado ajuda você

Regime de Tributação Regressivo

É ideal para o longo prazo. Quanto mais tempo você deixar o dinheiro investido no plano menos imposto você vai pagar de alíquota.

Sobre o lucro, no caso do VGBL, ou sobre o valor total, no caso do PGBL: por isso essa alternativa deve ser estudada cuidadosamente por quem vai adotar o PGBL; retirar o investimento antes do prazo planejado pode ser fatal

  • até 2 anos: 35%
  • 2 a 4 anos: 30%
  • 4 a 6 anos: 25%
  • 6 a 8 anos: 20%
  • 8 a 10 anos: 15%
  • a partir de 10 anos: 10%

Mas, detalhe interessante: a alíquota é calculada de acordo com o tempo em que ocorreram cada uma das contribuições. Digamos que você tenha contribuído durante 30 anos e esteja hoje encerrando o plano.

Sobre as contribuições dos últimos 2 anos incidirá uma alíquota de 35%. Sobre as que estiverem entre os últimos 2 e 4 anos, de 30%. A alíquota de 10% incidiria sobre as contribuições dos primeiros 20 anos em que você esteve no plano.

Outra coisa importante: a tributação é na fonte. Definitiva.

Regime de Tributação Progressivo

  • Do mesmo modo que o anterior: é sobre os lucros, no caso do VGBL, e sobre o valor total acumulado, no caso do PGBL
  • Porém, segue a tabela progressiva do Imposto de Renda: até 1.372,81 é isento, desse valor até R$ 2.743,25 paga 15% e acima desse último valor paga 27,5%.
  • O IR pode ser deduzido

Mas atenção

Ao escolher entre a tributação regressiva ou progressiva você não pode voltar atrás. Ou seja, esta é uma daquelas decisões importantes, meu amigo.

Vejamos duas variáveis para simplificar:

  • se você pretente fazer saques de baixo valor (abaixo do limite de isenção) a melhor opção é a tabela progressiva ou antiga. Nesse caso, você nem pagará imposto (na verdade não existe isenção: ao sacar mesmo que abaixo do valor de isenção do IR ainda assim virá debitado na fonte 15% sobre o lucro do investimento. Veja que, não há esta brecha de depositar um alto valor e ir sacando aos poucos para evitar pagar IR)
  • para quem for sacar valores mais altos e manterá a aplicação durante muito tempo terá vantagem na tabela regressiva. A partir de seis anos, por exemplo,  a alíquota já é de 25% (contra 27,5% da tabela progressiva) e, com o tempo, cai ainda mais.

A tributação regressiva foi criada em 2005.

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Previdência Privada 2: PGBL ou VGBL? Tributação Progressiva ou Regressiva?

41 comentários em “Previdência Privada 2: PGBL ou VGBL? Tributação Progressiva ou Regressiva?”

  1. Bem observado, Xico. Obrigado por ser um leitor detalhista e prestativo!

    Abraços do Ale.

  2. No PGBL com tributacao progressiva, os saques ate R$1.372,81 sao isentos independente da renda de beneficiario? Por exemplo, se eu tenho um salario de R$5.000, estou na faixa de 27,5% do IR, saco mais R$1.000 por mes da Previdencia, este saque sera isento? Grato.

  3. Mario,

    no PGBL o imposto de renda incide sobre o valor total acumulado, certo? Então não importa quanto você for retirar a cada mês… o que sair do plano pagará uma alíquota correspondente de IR. De qualquer forma, faça uma consulta a um contador para saber qual será a forma mais vantajosa para você…

    Desculpe a demora na resposta, pois eu estava em férias.

    Abraços do Alessandro.

  4. Muito interessante o post, Alessandro, me tirou muitas dúvidas!
    Aproveitando que já estava pesquisando sobre o tema vou aproveitar a sua boa vontade pra ver se vc me ajuda em um dilema, que não encontrei ainda durante minhas pesquisas:
    Comecei a contribuir para a previdência privada em 2005, na época até por inexperiência e desconhecimento optei por um PGBL com tributação progressiva. Contribui por 2 anos uma média de R$ 100,00, já que era empregado temporário, e de 2007 pra cá, que estou efetivado aumentei a contribuição para R$ 150,00, e pretendo ir aumentando conforme o orçamento for desapertando…. Minha dúvida na realidade é a seguinte: Sou funcionário público concursado,com retenção de IR direto na fonte, não tenho dependentes e algumas vezes declaro pelo simplificado (depende do que a simulação do IR mostra ser mais favorável). Não pretendo mexer no dinheiro até me aposentar. Depois de ler mais sobre o assunto comecei a achar que um VGBL com tributação regressiva seria mais interessante a longo prazo. A minha dúvida maior é 1) se continuo mesmo assim, mesmo sabendo que perderei rentabilidade a longo prazo; 2) se paro com esse PGBL, saco agora no início (mesmo perdendo uma parte desse dinheiro) e invisto em um VGBL de tributação regressiva; ou 3) ao invés de aumentar minha contribuição no PGBL, abro um VGBL em paralelo e vou tocando os dois, mesmo sabendo que a divisão do investimento prejudicará o efeito de juros-sobre-juros a longo prazo.
    Gostaria de saber a sua opinião sobre essas questões, qual seria a melhor alternativa?
    Agradeço antecipadamente quaisquer sugestões!
    Abraços

    André

  5. André,

    se você ainda está no início do PGBL pode valer a pena parar com ele. O dinheiro que você sacar você poderia colocar em um VGBL. Veja, se você não usa a declaração completa e portanto não abate o dinheiro investido em um PGBL ele não vale muito a pena…

    Há, no entanto, quem diga que é um bom plano ter os dois o PGBL e o VGBL. Mas é aquela coisa. Você reduz os lucros através da diversificação apostando em uma maior segurança…

    Abraços!

  6. Bom dia,

    Alessandro, gostaria de saber a sua opinião sobre como iniciar o meu plano de PP, apesar de ler o post, não entendi muito bem as explicações (coisa de leigo mesmo, a única coisa que sei é que compensa fazer um plano de PP ao invés de aplicar na poupança).
    Tenho 25 anos e tenho uma renda hoje em dia entre 1000 e 1500 mensais (espero ter essa renda aumentada conforme meu crescimento profissional.
    Estou querendo iniciar o plano mas não sei em qual aplicar, pretendo retirar somente quando me aposentar, (quero me aposentar com 50 anos, mas não farei isto certamente, é uma pretenção).
    Inícialmente quero investir com 100,00 mensais e ir aumentando conforme for possível.. Qual seria minha melhor opção???

    Obrigado..

  7. Tenho 23 anos estou pensando em contratar um plano de previdencia, mas qual? Sou funcionaria publica e não declaro imposto de renda e meu salario é baixo.

  8. Alessandro,
    Muito didática sua explicação. Obrigado.

    Uma dúvida que ainda persiste, e espero que vc me ajude a esclarecer, é se o prazo de 10 anos para a Tributação Regressiva (no caso, optei pelo PGBL) e criada em 2005, se aplica para todos as contribuições anteriores à data da criação. Me explico melhor com um exemplo: as contribuições feitas por exemplo em 1998, se resgatadas hoje (Jan 2009), teriam aliquota de 10% our seriam de 25% como se tivessem sido “depositadas” na data da criação da tributação regressiva (2005).

    Abraço

  9. José,

    vou ter que admitir minha ignorância, mas não sei com certeza. Lembro, no entanto, que houve um prazo para aderir à tributação regressiva depois de ela ser criada. Na época, eu aderi. Não sei se se aplica automaticamente a quem não aderiu. Suponho, porém, que uma vez aderida a tributação regressiva, o dinheiro que estava depositado seguiria a regra: ou seja, tributação de 10%. Mas o ideal é você consultar o seu corretor ou o seu gerente.

    Abraços do Alessandro.

  10. Gessica,

    eu sugiro um VGBL com tributação regressiva. Mas sugiro que você converse com um corretor para tomar a decisão.

    Abraços.

  11. Daniel,

    provavelmente um VGBL com tributação regressiva. Mas não deixe de consultar um corretor.

    Abraços do Alessandro.

  12. Boa noite,

    Tenho dois planos de PP e fiz os aportes de uma única vez, apenas para aproveitamento do dito “benefício fiscal”, depois de alguma insistência do chamando “gerente de relacionamento”. Não há duvidas de que a legislação fiscal sobre o assunto é bastante complicada e para alguém que gosta de cálculos há também a necessidade de conhecimentos de estatística.
    O que me espanta é que nunca, em nenhum lugar tive a oportunidade de ver um cálculo de médio ou longo prazos que considerasse os CUSTOS DE CAREGAMENTO do referido “investimento de longo prazo com benefício fiscal.
    Sugiro a realização do referido trabalho investigativo, ainda mais considerando os custos de carregamento, como no meu caso a taxa de administração anual é de 3%.
    Serã que este tipo de investimento é mesmo recomendável ou será que apenas uma forma de aumento efetivo de tributação no longo prazo, para as pessoas físicas, no curto para as empresas que administram estes recursos.
    É possível que nos ultimos anos o rendimentomédio destes fundos tenha sido inferior ao rendimento da poupança, ainda mais aqueles com parcela dos recursos alocados à renda variável.
    Abraço a todos.

  13. Há uma informação errada no texto sobre VGBL, na verdade não existe isenção, ao sacar mesmo que abaixo do valor de isenção do IR ainda assim virá debitado na fonte 15% sobre o lucro do investimento. Veja que, não há esta brecha de depositar um alto valor e ir sacando aos poucos para evitar pagar IR.

    “se você pretente fazer saques de baixo valor (abaixo do limite de isenção) a melhor opção é a tabela progressiva ou antiga. Nesse caso, você nem pagará imposto”

  14. A pessoa que possui um PGBL e declara no modo simplificado, não informa nada sobre o PGBL na declaração até que haja um resgate ?

  15. Tenho uma renda de 5000 e estou para assinar um plano de PP na função atlântico. Primeiro notei que em nenhum lugar cita se é PGBL ou VGBL, até fiquei na dúvida. Mas uma coisa eles precisam que seja informada no formulário, se será tributação progressiva ou regressiva. Sendo progressiva, como seria esse desconto? Minha intenção é contribuir até me aposentar, o que você me recomendaria?

    Abs

  16. Estou contribuindo p/ a previdencia privada desde 2000 irei ate o ano 2014, nunca tirei nada pois so hoje soube da lei de 2005. foi melhor ou pior? moro em ny. ganho quase 2 salarios minimos no brasil e nao declaro IR. grata Maria

    usa

  17. Fantástico, é bem vantajosa a prev. privada pois nos pode proporcionar a aposentadoria que desejamos sem nos preocuparmos c/ a burocracia do tal ” teto máximo””. Sem falar do tempo também, pois não há necessidade de esperar um longo prazo de tempo!

  18. Fiz um plano de previdência privada BrasilPrev PGBL Estilo com tributação progressiva. Fiz aporte inicial de R$ 5.000,00 e farei aportes periódicos mensais de R$ 400,00. Tenho 31 anos, e o meu tempo de contribuição na previdência privada será de 35 anos, pois a minha intenção é ter uma complementação à minha aposentadoria.

    A minha dúvida ficou por conta do tipo de tributação. A minha gerente alegou que na progressiva terei melhores rendimentos, pois segunda ela o meu plano é de aplicações de longo prazo, então a tributação progressiva é mais vantajosa, isso segundo simulações feitas por ela. Fiquei com uma “pulga atrás da orelha”, pois eu sei que a tributação regressiva é interessante para deduções no imposto de renda.

    Minha pergunta: No meu caso, a tributação progressiva é realmente a melhor opção? Quais as diferenças, vantagens e desvantagens, de cada tipo de tributação (progressiva e regressiva) para um plano de previdência privada como o meu?

  19. Minha Pergunta: Em caso de resgate total de reserva de previdência privada (PGBL) tendo optado pelo regime progressivo, a retenção será feita pela aplicação simples do percentual ou irá considerar o valor a deduzir (diferenças percentuais entre faixas)?
    Grato,

  20. MEU CARO PROFESSOR, TENHO MUITA VONTADE DE INVESTIR NA BOLSA, ACHO ATÉ CHIC, MAS NAO TENHO A MENOR IDEIA DO QUE É. TENHO UMA BOA RENDA MENSAL, GOSTARIA QUE AMIGO ME AJUDASSE A FORMA MAIS DIDATICA POSSIVEL. INDIQUE EM QUE DEVO INVESTIR, O QUE SAO OS TAI PAPEIS, ENFIM, ME AJUDE A GANHAR NA BOLSA.
    GRATO, MUITO GRATO.

  21. queria tirar uma duvida se eu contribuir na previdencia privada vgbl ate chegar a um montante de 300 mil Durante 5 Amos gostaria de saber se eu posso me beneficiar so dos rendimentos sem contribuir mais sera ki eu fazer isso ?

  22. Em alguns posts acima foi citado o tal “Teto de beneficio do INSS”, que em 2010 acredito que esteja em R$3.416,54, ou seja, mesmo se você ganhar R$5.000,00 por mês, só contribui para o INSS pelo teto, e quando se aposentar, só recebe o valor máximo do teto (perde o seu poder de compra). Outro fato preocupante é que o INSS hoje trabalha em regime de caixa, ou seja, quem paga os benefícios atualmente são os que estão na ativa, ou seja, o INSS que você paga vai diretamente para os aposentados, isso implica que não existem reservas, e se a população economicamente ativa vier a diminuir, e a expectativa de vida do brasileiro aumentar, não haverá contribuições suficientes para pagar a todos os aposentados (o INSS pode ficar sem recursos).

    Contribuo a 3 anos para uma previdência privada, do tipo PGBL, e deduzo do meu IR (estou na verdade postergando o pagamento do imposto, que será cobrado no resgate, mas acredito que esse dinheiro me será mais útil agora do que no futuro). O principal motivo é que quero manter meu poder de compra o futuro, apesar de ainda ganhar menos que os R$3.416,54, mas pretendo muito em breve ultrapassar essa barreira, além de não querer ficar a mercê de uma previdência oficial que ano após anos apresenta déficits absurdos.

    Quanto mais tempo você ficar com uma previdência privada, maiores serão as chances de obter rendimentos superiores ao da poupança (lembrando que nenhuma administradora de previdência pode lhe garantir rendimentos positivos, visto que alguns investimentos são feitos em renda variável/ações, mas existe um histórico de rentabilidades positivas, variando de 8% até os 30% anuais, no longo prazo).

    Todos os bancos trabalham com previdência privada, então procure o de sua preferência, e faça a sua, comece nem que seja com R$50,00 por mês, e tenha em mente que estará poupando para ter um pouco mais de tranqüilidade no futuro. Não fique refém da previdência oficial, inclusive em alguns países mais desenvolvidos ela nem existe, e o futuro dos indivíduos fica por conta das previdências privadas.

    Estou muito satisfeito com minha previdência privada, e tem mais, se eu não existir mais(se eu morrer) para receber a mesma, minha familia receberá uma pensão equivalente ao valor que eu receberia no futuro.

  23. Olá Alessandro,
    Estava com algumas dúvidas e achei esse site bem interessante, só queria que me confirmasse a conclusão que cheguei.
    Possuo rendimento bruto de R$125.061,74,imposto retido na fonte de 21.747,59.
    Possuo previdência privada complementar Viver VGBL, na qual o resgate é o percentual fixo de 15%.Possuo 55 contribuições, saldo: R$22.881,18, resgate: R$22.045,88.
    Na época a minha declaração era simplificada, nos últimos 3 anos ela mudou para completa e quero saber se é interessante pedir o resgate e partir para o PGBL.
    Não tenho intenção em usufruir desse dinheiro agora, só na aposentadoria.
    Desde já agradeço a atenção.

  24. Olá, Alexandro

    Gostaria de uma opinião. Tenho hoje uma PP que iniciou em 2000, parei as contribuições em 2006, meu plano é o PGBL, já tenho 64 anos, o regime é progressivo.

    A dúvida que tenho é: me aposento ou faço retiradas bimestrais ?. Eu penso em fazer retiradas bimensais imaginando que quando eu morrer meus dependentes retiram o saldo, caso contrário o plano ficaria com tudo. Estou com dificuldade de optar pelo valor da retirada, pois gostaria de fazer de uma forma que eu não pagaria o imposto de renda, sei que na retirada vai ser retido 15% na fonte, mas no fechamento anual receberia tudo de volta se eu entrar na tabela de isenção fazendo a minha declaração no ir simplicado.
    Pelo que entendi em observações anteriores não tem escapatória não me livro do imposto de renda independente do valor que eu retire, mesmo que ele seja na faixa de valores isentos. Peço exclarecimentos.
    obrigado

  25. caro,sr.tenho aplicado no bco,desde 10/4/2010,o valor de 35.000,00 no vgbl,sendo 30%na bolsa,esta aplicação é viavél no momento.grato pela at.enio

  26. Eu tenho uma dúvida que é a seguinte. Invisto faz 1 ano e meio em previdência privada através da CAIXA. Pois bem, o valor total investido é de R$6860,00. O saldo atual é de R$7093,00. O valor que o plano fala que rendeu é de 18,3290%. Sabendo-se que de TAXA de carregamento foi pago R$261,88. Não era pro valor em caixa estar R$7855,48??? O informe de imposto de renda é de 15%. Mas não seria debitado só em caso de retirada do valor?? Chego a conclusão que apesar de “dizer” que rendeu no período 18%, é melhor investir sob qualquer ocasião em poupança, que rende mais do que previdência e não tem taxa de carregamento nem imposto de renda pra furtar meu dinheiro, não é mesmo???

  27. Ola,seu leigo nesse assunto e quero aprender um pouco. eu investi, 15.000,00 no fundo da caixa economica fic previdencia multi rv49, quando apliquei em 12/04/2010, quando fui olhar o saldo essa semana me asssustei, eles me descontaram 600 e poucos reais, fiquei sem saber o que era, e estou com medo de perder o meu dinheiro com isso, a aplicação até o ano de 2015. voces podem me dar uma informação se devo deixar aplicar esse meu dnheiro, estou com duvidas.

  28. Boa noite,
    tenho um plano de previdência privada a 7 anos, mas mudei de empresa e aderi ao plano de previdência dessa outra empresa.
    Seria interessante sacar o valor do plano da 1ª empresa na qual já tenho 7 anos, lembro que a tributação é progressivo e o plano é PGBL ou seria interessante efetuar a portabilidade para o plano da 2ª empresa na qual estou trabalhando hoje? Ainda estou tirando essas e outras dúvidas, inclusive de assuntos referentes aos benefícios, mas seria valido a sua opnião Sr.Alessandro. sobre essa portabilidade ou saque do valor total até o momento.
    Agradeço desde já a atenção.

  29. boa noite, Preciso muito esclarecimento. Tenho 26 anos e acabo de fazer um pp VGBL tributação Progressiva, não possuo estabilidade profissional e posso a vir precisar sacar esse dinheiro um dia espero que não. Esse plano de tributação e viavel ou o melhor a fazer e cancelar esse e fazer um outro com tributação regressiva?

  30. Bom dia,

    Minha dúvida é a seguinte;
    No ano de 2010 retirei todo o valor depositado no PGBL regressivo, tive um desconto de 25% de IR. Paguei quase 19.000,00 R$ de IR.
    A dúvida é posso colocar este valor de IR com a finalidade de reaver parte deste dinheiro ou não?
    Obrigado

  31. Preciso de alguem que me oriente na simulação de valores de previdência privada, segmento Renda por Invalidez. No contrato consta IGPM + 6%aa e tenho dúvidas quanto à atualização feita pela empresa ( pessoa com invalidez que irá receber o benefício). O contrato é de 1999 e tenho a impressão que a empresa está atualizando apenas pelo IGPM. Tem como me ajudar???

  32. Preciso de alguem que me oriente na simulação de valores de previdência privada, segmento Renda por Invalidez. No contrato consta IGPM + 6%aa e tenho dúvidas quanto à atualização feita pela empresa ( pessoa com invalidez que irá receber o benefício). O contrato é de 1999 e tenho a impressão que a empresa está atualizando apenas pelo IGPM. Tem como me ajudar???

    Ibrigada…

  33. Caro Alessandro.

    Estou com uma dúvida quanto como declarar a minha previdncia privada.
    A empresa em que trabalho tem um plano, no qual ela contribui mensalmente com o mesmo valor que eu contribuo.
    No ano passado o plano mudou, e saldo que ja estava lá, foi pata um fundo FGB, e tanto as minhas contribuições como as da empresa se encontram “disponíveis”, ou seja não tenho carencia, se sair da empresa, levo este fundo comigo e posso utilizá-lo na minha aposentadoria.
    Já os novos aportes estão num fundo PGBL, e a parte da empresa só estará disponível em 2012.

    Como devo declarar, no FGB e no PGBL? e os aportes da empresa, declaro? onde?

    Grata.

  34. Alessandro,
    Tenho algumas dúvidas sobre a incidência de tributos de IR no plano VGBL progressivo. Tive um treinamento sobre previdência privada e ouvi falar que incidia 15% mais 12,5%, totalizando os 27,5%…Poderia explicar melhor?

  35. o valor tributado na opção progressiva ou regressiva será o total dos resgate ou sobre os rendimentos dessa aplicação?

    Exemplo: se aplico R$ 50.000,00 e por algum motivo preciso resgatar, a tributação é sobre o total dos resgate ou sobre os rendimentos dessa aplicação?

  36. Tenho uma dúvida com relação ao regime regressivo: a pouco sai da empresa onde trabalhava e solicitei o resgate da previdência que estava no regime regressivo. Contribui com a previdência durante 5 anos e 6 meses. Foi feito o desconto de 29,99% de IR, eu não estaria na linha de 4 – 6 anos = 25% de alíquota?
    obrigada

  37. Caro Alessandro
    Tenho um plano VGBL regressivo com pecúlio. Meu pgto mensal é R$111,00, sendo 11,00 de peculio. Minha dúvida é se a longo prazo é mais interessante aumentar o investimento mensal ou fazer aportes qdo achar interessante e manter o valor mensal?

  38. Alessandro,

    Eu acho que até mesmo para quem declara imposto de renda (na forma completa) ainda assim compensa mais o plano VGBL. Isso porque lá na frente, quando começar o resgate, irá incidir imposto de renda sobre toda a aplicação, e não apenas sobre a rentabilidade, como ocorre no VGBL. Eu acho que o PGBL somente compensa para aquelas pessoas que, quando da declaração de imposto de renda, necessitam complementar o imposto, ou seja, além de não terem nada para resgatar, ainda têm que desembolsar mais alguma quantia. O que você acha?
    PS.: eu tenho PGBL e estou muito arrependido.

  39. Outra coisa: Se eu não investir 12% de meu rendimento bruto para a previdência (digamos que invista uns 6%? apenas), compensa eu aplicar em VGBL?

Deixe um comentário