Entenda o Mercado de Opções 6: especulando com opções

Este artigo faz parte da série Entenda o Mercado Opções. A série é de autoria do convidado Elvis Pfützenreuter. Ele é editor do blog #d00dzFinance e autor do livro Investindo no Mercado de Opções. Ele também oferece uma calculadora de opções Black e Scholes online, que calcula toda uma série de opções de uma vez só.

Leia também:

A compra de opções para fins de seguro é algo direto, honesto e tranqüilo. Porém, é possível comprar opções com fins meramente especulativos, ou seja, na esperança de poder vender mais caro no futuro. Neste caso, não há nenhuma intenção de assegurar, comprar ou vender nenhum ativo subjacente.

Especular é nada mais que tentar comprar barato e vender caro — não necessariamente nesta ordem, pois é possível vender a descoberto. Todo derivativo, opções inclusive, apresenta enormes variações de preço em função das oscilações do ativo subjacente. Uma opção pode perfeitamente valer 50 centavos hoje e valorizar a 5 reais amanhã. Ou vice-versa.

Essa expectativa leva muita gente a tentar a sorte negociando opções. Porém, é praticamente impossível ganhar dinheiro no longo prazo fazendo isso, por três razões básicas.

A primeira razão é que opções têm prazo de validade, após o qual viram pó. O investidor não pode “sentar em cima” de uma opção momentaneamente desvalorizada, como ele faria com uma ação blue chip.

A segunda razão é que o mercado de opções é soma-zero. Ou seja, para uns ganharem, outros têm de perder, e a soma total desses ganhos e perdas é sempre zero, depois de descontada a taxa-base de juros da economia.

A terceira razão é que, no caso das opções de compra, é o comprador quem arca com o custo da taxa de juros. Como a especulação canônica do especulador bisonho é comprar opções de compra, ele está arcando com uma taxa de juros de 13,75% ao ano. Para ele, o jogo das opções é uma soma abaixo de zero; ou seja, é praticamente certo que perderá dinheiro no longo prazo.

Em cima de tudo isso, o investidor bisonho não aprecia o real valor de uma opção; ele simplesmente compra e vende, eventualmente comprando caro e vendendo barato, sem saber.

Elvis Pfützenreuter é mestre em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina e graduado em Ciências Contábeis pela Universidade da Região de Joinville. É pesquisador e professor na área de informática. Trabalha no desenvolvimento de sistemas financeiros desde 1993 e investe no mercado financeiro desde 1997.

Avaliação média: 5
Total de Votos: 1

Entenda o Mercado de Opções 6: especulando com opções

7 comentários em “Entenda o Mercado de Opções 6: especulando com opções”

  1. Olá,

    Acheivaga, sem muita profundidade e sem fundamento o artigo 6 (especulando com opções). Se o título do artigo trata de especulação com opções, a único objetivo atingido foi desestimular o leitor a especular comprando/vendendo opções. Estou vendido desde o final de Junho (a boa e velha análise técnica me indicou e, felizmente acreditei nos indicadores de tendência de queda) e venho especulando com opções, também com ajuda da análise técnica. O resultado tem sido muito superior do que qualquer outro investimento… Basta estudar, gastar tempo estudando, querer aprender, estar disposto a assumir riscos e, principalmente, tirar lições das invertidas que o mercado nos prega de vez em quando.

    Abs,

    Beto.

  2. Beto,

    concordo plenamente com você. Com estudo e dedicação, especular com opções é tranqüilo e sem riscos. No entanto, é comum que pessoas se iniciem em opções sem esses pré-requisitos. Assim, acho salutar que em um site voltado a iniciantes se destaque os riscos. Sem incentivar o pessoal já faz cacava, imagine incentivando.

    Obrigado por seu comentário.

    Abraços do Alessandro.

  3. gostaria de saber como faço para aplicar em opções no home broker se pode me orientar um local onde possa ver isso

Deixe um comentário